Vai vendo…

Deixe um comentário

Primeiro carnaval juntinhos. E ao moço, coube optar.

De um lado o econômico e democrático Bloco do Simpatia É Quase Amor, com milhares de foliões incendiados, gingando e pingando, coladinhos uns aos outros pelos sovacos, quadris e cangotes. Outra opção seria arrendar um exclusivo ninho de amor nalgum canto de ilha selvagem muito pouco visitado. Os olhos da cara, adianto. Mas a privacidade e o conforto valiam. Centavo a centavo. E ele pulou no abismo.

Fechou casa pra dois, mais lancha e luau. Seu dinheiro gastou a rodo. O que fez a pequena suspirar. Portentosa. Mas de repente estancou, numa pergunta inusitada.

Continuar Lendo »

Contando ninguém acredita

12 Comentários

A casa era assim dividida. No andar de cima, ele. Apaixonado por ela. A linda moça do andar de baixo. O que seria até bem simples, não tivesse ela pai, mãe, três irmãos, avó doida e papagaio.

Pra piorar, o pai era uma fera. E tinha um cachorro que era uma verdadeira onça. Talvez por isso fizesse questão de olhar pra ela de longe. Disposto a não dar na vista. Até o fatídico dia, quando ouviu a mãe dela reclamando.

_ Chega de sol, menina. Quer virar pururuca, é? E esse biquíni? Vê se isso é roupa de gente…

Biquíni?, tremelicou o pobre, em meio a uma chuveirada, Quedê a toalha? Quedê?, na pressa,  acabou metido numa toalhinha micha de rosto. Daí fugiu pra varanda. Sapear. Continuar Lendo »

Cuti-Cuti

4 Comentários

Bom dia, moreco-pimpão! Quem é o cajuzinho-Xtudo, mozão-mais-cuti-cuti da minha vida, hein?, mandou ela por whatsapp. Interrompendo a reunião dele. Não satisfeita, tratou logo de acrescentar dúzia e meia de carinhas sorridentes. Mais vinte coraçõezinhos. Vinte, não. Trinta. E um golfinho ao final. Pronto. Agora, sim. E aguardou. Até que ele leu. Mas responder que é bom, nada. Sendo assim, voltou à carga.

Continuar Lendo »

Misericórdia

8 Comentários

_Jantar de amigos? De novo! – emburrou ele.

_Qual é o drama? –  emendou ela, lacônica _Há coisas piores…

_ Fale por você – resmungou o bicho do mato. Desses que não abrem a boca por nada. Capaz de passar uma noite inteira convertido em estátua, num silêncio obtuso_ Esse negócio de frequentar não é comigo. Gente nova me dá arrepios. Principalmente se vêm em bando…

Continuar Lendo »

Segundas Intenções

Deixe um comentário

Voltou para casa mais cedo. Eufórica. Perturbando a vizinhança inteira.

_Cês viram? Estreia nesta quinta: Marcas de um amor. Parte seis. A lenda continua. E aí? Quem topa?

Nenhuma resposta. Pelo contrário. A mãe alegou cansaço e uma crise reincidente de labirintite. A irmã, trabalho. E assim, todos. Um por um. Tia. Tio. Concunhado. Conhecida de porta. Mocinha que vende Avon. Até que colou numa amiga mais chegada. Com quem insistiu, à plena carga.
Continuar Lendo »