Queridinha

2 Comentários

No cestão abarrotado de ofertas, um único top preto chamava a atenção. E duas moças brigavam por ele.

_Desculpe, mas essa peça é minha.

_Sinto muito, queridinha. Eu vi primeiro.

_Acontece que esse tomara que caia fecha direitinho com o modelito que escolhi usar, viu só?  – exibindo irritadiça uma tanguinha preta e branca.

Ao que a outra deu de ombros, pavoneando sua calçola drapeada branca e preta.

Nada feito. Nem prum lado, nem pro outro. E continuaram.

_O negócio é o seguinte: investi seis meses de salário numa viagem. E não há a menor chance de embarcar sem esse bustiê.

_Ora, não me amole, que excursão e romaria tem aos montes por aí. Já eu, vou de lua de mel, percebeu a diferença? – pra concluir, enfática_ E daqui não saio sem esse troço. Não, mesmo.

Deu-se a sinuca de bico.

_Mas eu preciso muito! – implorou a da direita_ Você não faz ideia do quanto nadei, corri e pedalei só pra caber nesse conjuntinho…

_E daí? – ranhetou a da esquerda_ Pior, eu. Que não vejo carne, nem se mordo a língua. Varada de fome há meses, de  caldo em sopa e de volta ao caldo – pra concluir o raciocínio veementemente_ Sendo assim, minha filha, nem vem que não tem, que esse biquíni você não leva. Palavra de honra!

Daí em diante, era caminho sem volta. E sabiam disso. Cientes de que somente uma sobreviveria ao embate. Onde apenas o interlocutor mais letrado prevaleceria.

Então, tomaram seus lugares. Bem quando uma das fulanas, de dedo em riste, iniciou o ataque. Que começou assim, à queima-roupa.

_ Uni-duni… tê! – entoou ela, pra deleite geral.

Mas a resposta veio, a despeito das pernas que bambeavam.

_Salamê-minguê…

E a matança continuou. Por horas ininterruptas.

_Ilari- lari- lari- ê!

_Ô- Ô- Ô…

_Conga-la-conga!

_Conga-conga-conga…

_One-two-three-little indians!

_Peraí! Italiano não vale.

_É inglês – mas como as regras não eram claras, retrocedeu. Acrescentando, em seguida.

_ Chega! Cansei de ser boazinha. Agora, é tudo ou nada. E quem ganhar, leva. Custe o que custar.

Com as mãos escondidas atrás das costas, inclinaram-se. Depois, cerraram os punhos. Até que se ouviu uma voz fria e calculista, que conclamou.

_Joquem… pô!

dreamstime_l_44645356

 

2 comentários sobre “Queridinha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s