Eu, hein…

2 Comentários

Se a esmola é muita o santo desconfia. Eu sei disso. Você, também. Já ela preferiu ignorar. E focar só nas vantagens. Que incluíam um narizinho todo novo e em condições inigualáveis. Facilitado e financiado. Parcelas a perder de vista.

Sei que mandou às favas os escrúpulos e receios. Quando viu estava lá. Em pleno centro cirúrgico. Com um sujeito todo paramentado que veio se achegando e dizendo.

_Tudo bem? Como vai a senhora? – pra acrescentar, tomado as mãos dela entre as suas _Pois fique sossegada, que está tudo sob controle. Mas se quiser podemos começar fazendo uma oração…

_Não se preocupe, meu filho. Estou tranquila. Verdade…

_Bom saber. Fico mais aliviado. Que eu, por outro lado, uma pilha, menina…Olhe minhas mãos. Absurdo como tremem, né? E a suadeira? Pode isso? certo que meio gripado hoje, mas não era pra tanto – e acrescentou _ A primeira vez é sempre mais tensa, mesmo. Super normal acontecer.

_Então, acalme, doutor. Essa não é minha primeira internação.

_Mas é a minha – devolveu ele, mais sincero que nunca.

_Hein?

_Não se aflija, fiz todos os simulados. E passei, viu? Média sete. Além do que, rosto é minha especialidade.

Sei que a mulher começou a retesar, bem quando o outro subitamente perguntou.

_ Nariz. É isso?

Fez que sim. E ele abriu um grande livro, onde começou a procurar.

_Nariz. Nariz. Nariz… Deve ter algo aqui nalgum lugar. Um instantinho só, ?

Socorro!, pensou a dona,  enquanto o outro matraqueava.

_É que face é um assunto complexo. Tem testa. Dois olhos. Queixo. Bochechas. Orelhas. Nariz… – e completou_ O problema é que comecei a estudar de baixo pra cima. Pé. Panturrilha. Coxa…. Aliás, ainda ontem participei de uma aula prática envolvendo joelhos. A senhora por acaso não tem nenhum problema com os seus, tem? Não, né? Foi o que eu imagine… Lei de Murphy. Sempre ela…

E de volta a vaca fria.

_ Como disse, não esquente a moringa, madame, que nariz é mole-mole. Só não tem nada nesse livro – foi quando lembrou de perguntar _ A senhora, por acaso, trouxe o tablet? Ou um laptop?  É dar um google e pronto. Não? Que pena… Mas tudo bem. Estou com meu celular – e começou a zanzar pela sala, buscando conexão _ Oras bolas…  Aqui não pega direito. Tô precisando trocar de operadora. Urgentemente. Tá vendo, só? Já caiu. Imagine se é no meio da cirurgia… Deus nos livre e guarde…

Foi buscar uns comprimidos. Retornou todo feliz. Calmante numa mão e copo de água na outra. Ao que a moça, protestou.

_Já me deram. Na antessala…

_Perfeitamente. Esses são pra mim.

Pra quem? Desesperou-se ela, que desmaiou.

_Ei. Psiuuuu. Ô, dona. Xiiiiiii…. Apagou… E agora? Queria como esse nariz? É pra suspender, afinar, arrebitar ou deixar curtinho?

Na falta de qualquer resposta efetiva, buscou fotos. Modelos variados. E foi lançando as opções sobre a mesa de trabalho. A seguir, convencional como era, optou por ser catedrático. Clássico. E sem mais delongas, começou a declamar.

_Mamãe mandou eu escolher esse daqui. Mas como sou muito teimoso eu escolho aquele ali. Um… Dois… Três!

Eu, hein...

2 comentários sobre “Eu, hein…

  1. Só você para me fazer relaxar depois de sair de uma reunião pra lá de estressante Lú!!
    G-suissssss que figuras você cria! Que situação hein tiazinha! Se sair ilesa dessa vê se aprende kkkkkkkkkk
    Obrigada por me fazer relaxar e achar graça na vida novamente porque ói… Tem dia que é difircê kisóviu!
    Bj

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s