Um caso meio diferente

2 Comentários

De todas as suas esquisitices, aquela ganhou longe.

E ninguém soube o porquê. Nem mesmo ela. Que iniciou seu dia como sempre, pelas crianças. Mas ao invés do habitual, Hora de acordar!, o que se ouviu foi algo bem incomum.

_Hoje é quinta-feira, dezesseis de abril, e o Bom Dia Brasil está só começando…

Os filhos se entreolharam, mas decidiram tocar em frente, como se nada tivesse acontecido, O café tá pronto?

A mãe, como quem olha diretamente para uma câmera, aprumou e disse.

_E o brasileiro? Tem comida na mesa? Como estados e municípios tem atuado para garantir a segurança nutricional da população? Pra responder a essas e outras perguntas, estamos recebendo hoje em nossos estúdios a coordenadora geral da secretaria estadual de alimentação…

Mas era só a Chica. Boleira de mão cheia e há anos na família, Vim avisá que num tem leite. Nem dá pra buscá, qui tá uma friuzera danada lá fora…

Foi o suficiente para mãe reassumir as transmissões.

_Uma grande massa de ar frio acaba de chegar ao país. Isso explica as baixas temperaturas e as geadas. É o caso do Acre, por exemplo. Com mínima de doze graus em Rio Branco…

Pior ainda foi no carro, quando a mãe entrou em horário eleitoral gratuito. Na porta da escola, entrevistou dois professores e tentou uma exclusiva com um senhor estacionado em fila dupla.

Voltou pra casa a tempo de abrir o Vídeo Show, que veio com os seguintes destaques, As dicas de beleza da vó Cinira, o vídeo musical da poodle da vizinha e o papo aberto com o seu Borges, porteiro-faz-tudo que a dona Chica era doidinha pra pegar…

Sei que o encosto não largava. E quando o marido entrou em casa foi recebido aos berros de, Cachorro, canalha! Isso lá são horas de chegar? Tava com outra, acertei? Fale, tratante. Fale!

Faltou a ele enfartar. Mas foi atendido pelos filhos, que explicaram.

_Liga, não, pai. Passou o dia assim. Zapeando de programa em programa. E o senhor chegou bem na hora da novela…

Comeram em silêncio. Quebrado vez ou outra, quando chamava os comerciais.

Tentaram banho, chá de boldo, vick vaporub e reza pra descarrego. Nada. Com as manchetes desdobrando noite adentro. Até sair do ar. Quando simplesmente calou.

_Como está se sentindo? – quis saber o marido.

_Bem melhor – respondeu ela, aliviada.

Então apagaram as luzes. E ela teria virado e dormido, não fosse ele. Em pé sobre a cama.

_Tantarantantan-tarantantan… O Plantão da Globo informa: mãe acometida de transtorno psicológico não identificado finalmente se liberta do transe. Mais notícias você acompanha durante a nossa programação…

Um caso meio diferente

2 comentários sobre “Um caso meio diferente

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s