É da Veja?

3 Comentários

_Senador, precisamos conversar – anunciou enquanto tomava lugar à mesa.

O outro, macaco velho de tantos carnavais, achou por bem se acercar de garantias.

_Não é por acaso da Veja, é? Nem da Folha? Estadão só atendo se for dos Classificados, é que anunciei meu chateau em Borgonha e estou aguardando retorno…

_Sossegue excelência, que estamos no mesmo barco.

_Barco é pra pobre, meu rapaz. Jatinho pago por doleiro é que é negócio. Ou era. Antes das delações premiadas. Quando ainda se faziam pronunciamentos com tranquilidade, sem essa bateção de panelas dos diabos. Anote aí: majorar os impostos sobre caçarolas, tachos e frigideiras…

_Melhor não, senador. O povo tá uma fera.

_Ofereça um ministério a eles. Ou a participação em alguma refinaria. Pasadena, por exemplo. Anda muito na moda. E fica no Texas. Onde foi filmado Dallas. Menino, eu era fã do J.R.

_Eles não querem nenhum ministério.

_Querem, não? Então devolva. Vou sublocar.

_Mas e o povo, senador?

_O que é que tem?

_Os eleitores estão nervosos.

_Rivotril neles.

_Hein?

_Dizem que yoga também ajuda. Mas prefiro alopatia. Mais eficaz, lembrando que dá pra ganhar unzinho em cima. Sobretaxar, entende?

_Precisamos ser mais assertivos, excelência.

_Concordo plenamente.

_Mais práticos. Efetivos.

_Sem a menor sombra de dúvida.

_Combater definitivamente a corrupção.

_Também não é pra tanto, né, meu filho – e continuou, advogando em causa própria _ Afinal, o que é a corrupção? Oras. A corrupção surgiu na antiguidade. Durante o período paleolítico. Na época o partido de ocasião era o Arena. Que derivou mais tarde no PSD, que por sua vez antecedeu o PMDB, o PTB, o PC do B, a CET e a CBF. Embora eu considere que o PSDB, pela numerologia, seja uma das siglas mais auspiciosas. Se bem que PCC também é forte e de fácil memorização. Mas a conotação é negativa. E por que é negativa? Culpa de elementos mal-intencionados, (está me acompanhando?), que deturparam a imagem da máquina pública nacional. Concorda comigo? Isso tudo sem esquecer que o congresso é uma casa de leis e como tal não podemos nos isentar de pensar na crise hídrica enfrentada pelo nosso país. Que é um estado laico, graças a Deus! Modelo democrático que respeita tanto quem defende a liberação da maconha para fins estéticos e terapêuticos, quanto aqueles terminantemente contra. E digo mais…

Justo quando a secretária surgiu à porta avisando, Senador, precisam lhe falar. É urgente!

_Não é da Veja, é? Se for da Folha, digam que não estou. Agora se ligarem dos Classificados do Estadão…

É da Veja?

3 comentários sobre “É da Veja?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s