Elas não merecem ser estupradas

7 Comentários

Big Brother, pode. Minissaia, não. Eis o seu retrato, país tosco.

Terra do samba. Do facebook. Da exposição exagerada e dos encoxadores.

Quem precisa de divas, se elas não dão Ibope? Brasileiro, assim como o americano, gosta mesmo é das celebridades. Daquelas. Estúpidas e meteóricas.

Só que lá tem segurança. E o bicho pega. Já aqui, na terra da Copa, a banda toca em um ritmo um pouco diferente.

E prepara, que, agora, é a hora do show das poderosas, só não conte a elas que na TV, pode. Na rádio, pode. No carnaval então, é um luxo só. Incentivado e recomendado. Mas no metrô, não. Nem no trem. Nem nas ruas. Nem na vida.

E, se insistir, vou dizer que a culpa é toda sua. E não discuta comigo, que aqui mulher não manda nada. Agora, ande. Vá malhar esses glúteos, para ver se vira alguém na vida.

Estudar filosofia, pra quê? Me diz? Então, esqueça essa história de discutir Simone de Beauvoir. Ah, tá.Você nunca ouviu falar em Simone de Beauvoir, né? Quer saber? Melhor! Ficou mais fácil. É só turbinar o resto. Que o futuro está aí: entre o quadril e a comissão de frente. E estamos conversadas!

Quem quer ser professora? Viver de salário mínimo e meio e ainda ser alvo de peixeira e cyberbullying ?

Eu quero é aparecer pelada na Playboy, embolsar dez milhões e mudar pra Miami. Onde é seguro ser peituda. Lá estupro é crime e dá cadeia, sabia? Pois é, menina. Difícil acreditar, não?

Aqui dá n’água. Vira currículo. Se bobear o fulano ainda se elege. Deputado. E com sorte, chega a prefeito.

O problema é que nada disso é novidade. Nem é de hoje. É secular. E pouco tem a ver com o microshort delas. Veio nas Caravelas. Institucionalizado pelo meu bom e velho amigo Cabral. E, enquanto enxergarmos nossas meninas como índias, tudo seguirá exatamente igual. Paleoliticamente correto.

Chega de falar mal da vida alheia pela janela. Já passou da hora de assumir que essas filhas são nossas. E que devemos lutar por elas.

São meninas, pelo amor de Deus! Só meninas. E com todo o direito a escolher quem terá, e principalmente, quem não terá acesso ao seu corpo. Simples assim.

E, não. Definitivamente, não. Elas não merecem ser estupradas.

7 comentários sobre “Elas não merecem ser estupradas

    • Não dá pra ser só o país do futebol. Temos que ser também o país da liberdade e do respeito. Onde meninas se vistam como queiram, tendo total controle sobre quem poderá e, principalmente, quem não poderá ter acesso ao seu corpo.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s